Banner Home

No dia a dia de uma confecção, existem algumas ferramentas que são essenciais para que o trabalho flua de forma organizada e produtiva. A ficha técnica, utilizada em processos de criação e de desenvolvimento, é uma delas. Nela, constam informações essenciais para que as peças sejam corretamente produzidas. Alguns exemplos de dados que constam na ficha técnica são os tecidos e aviamentos que devem ser utilizados, os preços destes materiais e um desenho técnico que representa a roupa graficamente. 

A sua confecção já utiliza esta ferramenta da maneira correta? 

A importância da ficha técnica para o desenvolvimento de uma coleção

Quando bem elaborada, a ficha técnica é eficiente em eliminar os ruídos de comunicação entre os setores responsáveis pela produção. Por isso, esta é uma ferramenta importante em diversos processos de uma confecção – como, por exemplo, no processo de criação das peças. Vários profissionais estão envolvidos neste processo. O estilista, o modelista e o costureiro são alguns deles. Para que cada profissional saiba exatamente o que deve ser desenvolvido, é preciso que hajam instruções específicas, certo? É isso que a ficha técnica oferece: dados organizados referentes à peça que deve ser produzida.

Este é um material útil para o modelista, que tem acesso a um desenho técnico do produto; para o setor de compras, que sabe exatamente que aviamentos e tecidos devem ser comprados; e para diversos outros profissionais da confecção.

Como montar uma ficha técnica completa 

Existem algumas etapas importantes na construção da ficha técnica de um produto. São elas:

Cabeçalho

É importante identificar a empresa e a peça logo no início da ficha técnica. Aqui constam o nome da empresa, a referência da peça, a descrição da peça, o ano e a estação da coleção da qual a peça faz parte, o nome do estilista responsável e a data. 

Desenho técnico

O próximo passo é incluir um desenho técnico da peça. É importante que o desenho mostre os lados da frente e de trás do produto e que detalhes estejam indicados com setas e legendas (bordados e aplicações, por exemplo). 

Matéria-prima

Existem algumas maneiras de apresentar os materiais necessários para a produção da peça. Você pode dividi-los em materiais principais e secundários ou em tecidos e aviamentos. Nos dois casos, é importante acrescentar todos os detalhes necessários para garantir que a peça será desenvolvida como o esperado. A referência, o nome, a composição, a cor, o tamanho e o fornecedor do material são dados que não podem faltar. 

Processos 

A peça deve ser estampada? Tingida? Lavada? Use este campo para descrever os processos pelos quais ela deve passar.

Grade de tamanhos

Aqui devem ser informados os tamanhos em que cada cor da peça deverá ser produzida. Também é importante descrever quantos peças serão feitas de cada um destes tamanhos e cores. 

Por exemplo:

  • Cor vermelha, 60 blusas tamanho P, 60 blusas tamanho M e 50 blusas tamanho G. 
  • Cor branca, 70 blusas tamanho P, 70 blusas tamanho M e 60 blusas tamanho G. 

Observações

É válido deixar um campo na ficha técnica das peças para que possam ser descritas informações adicionais, sempre que necessário. Lembre-se: quanto mais detalhadas, menores os ruídos de comunicação e menores são as chances de erros na produção. 

Como é feita a ficha técnica na sua confecção? Ela já possui todos os elementos necessários para que todos os colaboradores saibam exatamente o que deve ser produzido? Deixe a sua resposta nos comentários!

Publicado em